O presente blog se propõe a reflexão sobre os Direitos Humanos nas suas mais diversas manifestações e algumas amenidades.


sábado, 26 de junho de 2010

Testemunhas do caso Alexandre Thomé Ivo Rajão estão sendo ameaçadas por skinheads!


Inacreditável a audácia dos skinheads!

Foi noticiado no São Gonçalo on line que seis testemunhas foram ameaçadas por skinheads e que, inclusive, duas delas teriam deixado suas residências com receio que tais ameaças se concretizassem:

"Na mira dos skinheads
Seis jovens - todos amigos do estudante Alexandre Thomé Ivo Rajão, de 14 anos, sequestrado, espancado, torturado e morto por estrangulamento na madrugada de segunda-feira passada - estão sendo ameaçados de morte em razão dos depoimentos prestados na 72ª DP (Mutuá), que resultaram na prisão de três suspeitos do crime. Dois deles deixaram suas casas e estão sendo mantidos em locais incertos, para que não sejam descobertos pelos criminosos, acusados pela polícia de integrarem uma gangue de skinheads, que prega o nazismo e a homofobia....."

Após escrever este texto entrarei em contato com todas as autoridades do governo no Rio de Janeiro que representam os direitos LGBTs assim como o Movimento Social denunciando essa grave informação.

Hoje, não há como um criminoso escapar. Se tais ameaças surgem por correspondência eletrônica a delegacia especializada possui condições de encontrar IP o servidor e quem a enviou, da mesma forma ligações telefônicas podem ser rastreadas com autorização judicial.

Pessoas como essas só confirmam a necessidade imperativa de reação do Estado.

Hoje a ABGLT - Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais enviou nota sobre o fato e novas providências estão sendo exigidas, entre elas, pede que sejam feitos pronunciamentos sobre o caso na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, conforme parcialmente se transcreve:

A ABGLT reitera seu pedido, já formalizado duas vezes, de que o Ministério da Justiça implemente as políticas públicas previstas no Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de LGBT, em especial as que dizem respeito à repressão da violência homofóbica.

A ABGLT pede que sejam feitos pronunciamentos sobre o caso na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, e que este seja um dos casos a serem expostos na Audiência Pública sobre Assassinatos de Homossexuais, a ser realizado no final deste ano pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, com requerimento já aprovado, proposto pela deputada Iriny Lopes e pelo deputado Iran Barbosa.

A ABGLT exige que seja aprovado o Projeto de Lei da Câmara nº 122/2006, que entre diversas formas de discriminação, proíbe e pune a discriminação por orientação sexual e identidade de gênero.

Até quando parte do Congresso Nacional vai ser conivente com a prática da homofobia? Quantas pessoas LGBT ainda vão ter que sofrer discriminação e até ser mortas para que o Congresso Nacional cumpra seu papel de legislar para o bem de todos os segmentos da população?

Onde está o evangélico Senador Magno Malta que diz vestir a camisa na defesa de inocentes crianças e jovens e é contra o Projeto de Lei que criminaliza a homofobia? O que diz o evangélico Senador do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, que deveria estar representando sua unidade da Federação na defesa deste jovem assassinado?

Hoje, lendo a matéria sobre este assunto no Blog Comer de Matula, da Rita Colaço, a mesma ressalta a falta de atenção da mídia sobre esse hediondo crime e questiona a razão pela qual não existiu a mesma "dedicação que os veículos de imprensa (falada, televisiva e escrita) deram, por exemplo, ao caso do menino João Hélio, ao da menina Isabela Nardoni. Ou, ainda, ao caso do espancamento da empregada doméstica na Barra da Tijuca, em 2007".

A escolha da pauta da imprensa, do tipo, este vai para capa, esse entra e este sai, não pode determinar a importância dos fatos em nossas vidas, quando nossas vidas é que estão em jogo.

Este crime, apesar dos esforços do delegado responsável, pode virar apenas mais um número a ser contabilizado nas tristes estatísticas de crime ocorridos motivados na homofobia. Cabe a cada um de nós, cidadãos fluminenses e brasileiros, lançar o grito do BASTA!

Um jovem foi brutalmente assassinado. E agora? Alexandre Ivo não pode pedir justiça, sua mãe ainda tem que, apesar de todo sofrimento pela perda da pessoa mais importante de sua vida, se expor num momento tão íntimo e pessoal para clamar por justiça pelo seu filho! Que culpa tem Alexandre Ivo ou sua mãe pelo ÓDIO que estes criminosos possuem por homossexuais?

Não pense que aqui se serve apenas aos interesses da garantia de VIDA de homossexuais. Quem pensar assim certamente não entende a gravidade e principalmente o alcance dos atos violentos e discriminatórios destes marginais. Eles não respeitam A VIDA de ninguém.

Num dos comentários deste blog, podemos constatar uma mãe preocupada com seu filho, o qual não é homossexual, mas já foi quase vítima dos mesmos acusados do assassinato de Alexandre Ivo. Segundo ela, um homem adulto livrou seu filho de ser surrado pelos mesmos suspeitos. E mais, Rita Colaço mencionou ter lido no site 'homofobia já era', declaração de uma ex-namorada de um dos acusados, confirmando toda agressividade e a presença de seu carro próximo ao cemitério, no momento em que Alexandre era sepultado. E agora, lemos a notícia no São Gonçalo on line que skinheads ameaçam testemunhas. A periculosidade destes elementos não é baseada em ilações, mas fatos assustadores!

Se omitir neste caso não representa apenas aceitar passivamente o crime. É pactuar indiretamente com ele. Reitero e insisto: Reaja! Denuncie! Divulgue e Reclame!

3 comentários:

Lito disse...

Oi Carlos, vi essa noticia a dois dias atrás e fiquei profundamente sentido com essa barbaridade.Vi o depoimento da mãe em prantos, e mesmo não conhecendo o garoto,sinto a necessidade de tentar fazer algo.Quero justiça!
Sei que algumas providencias já estão sendo tomadas pela própria ABGLT, mas gostaria de saber se eu posso ajudar de alguma forma...
Provavelmente vc enviou um email, como disse nessa postagem.Será que não seria importante se várias pessoas passassem a enviar emails?Não sei ao certo pra quem, ou falando o que...
Bem, gostaria mesmo de fazer algo.Não sei o que, só sei que gostaria.

Mas caso seja possível, me avise.Nem que seja pra mandar um email pra um deputado, senador ou para a própria rede globo exigindo que e matéria seja transmitida em rede nacional.

Abraços.

Rita Colaço disse...

Lito e demais leitores:
Sim, vc pode colaborar na campanha. Envie mensagens aos deputados, senadores, deputados estaduais, prefeito, governador, solicitando empenho na aprovação do PROJETO DE LEI ANTIDISCRIMINAÇão.
nO COMER DE MATULA postei alguns e-mails.
http://comerdematula.blogspot.com/2010/06/campanha-protesto-contra-homofobia-o.html

Felipe Antifa disse...

Oi Carlos, só pra constar eu gostei do texto achei sua argumentação forte e expressiva.
porém acho que cometeu um equivoco, muitas vezes você ligará o noticiario e quando um grupo neo-nazista aparecer ele será automaticamente chamado de skinhead.
porém o movimento skinhead não tem raízes nazistas nem políticas.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Skinhead
Eu não sei como é a cena skinhead no rio, porque eu sou de são paulo mas sei que os grupos nazistas independentemente do local, não são verdadeiros skinheads, e dentro os skinheads tem o apelido de boneheads(que seria basicamente referindo ao fato de eles terem uma cabeça oca).
Já conheci skinheads negros, gays e lésbicas.
Só um detalhe que eu achei importante mostrar pois com a imagem que a mídia mostra dos skinheads vejo que muitos podem acabar sendo taxados de nazistas ou fascistas injustamente.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

LinkWithin